Livraria Senac

A ARTE DE CRIAR LEITORES: REFLEXÕES E DICAS PARA UMA MEDIAÇÃO EFICAZ
GOIMAR DANTAS
R$ 64,00
R$ 44,80
CALCULAR FRETE
Envio Custo Entrega
A partir de sua própria experiência de como tornou-se leitora voraz, Goimar Dantas desenvolve neste trabalho não apenas reflexões teóricas sobre o universo dos livros e da leitura, mas também traz dicas importantes e práticas para todos os que buscam despertar no outro o gosto pela leitura e o amor pelos livros. E quem pode estimular o prazer pela leitura? Qualquer pessoa que tenha essa paixão: de pais e professores a bibliotecários e booktubers. No entanto, tem lá suas exigências: é preciso preparar-se, fazer pesquisas, debruçar-se sobre livros, temas, críticas e estar atento às novidades do mundo que pretende apresentar ao leitor/ouvinte, buscando ultrapassar limitações sem que se perca a poesia e a imaginação. Lançamento do Senac São Paulo, A arte de criar leitores: reflexões e dicas para uma mediação eficaz mergulha no mundo da narrativa dos livros sagrados e relatos mitológicos aos contos de fadas, às fábulas e à produção literária infantojuvenil, com a certeza de que o amor pelos livros contribui para uma experiência cultural mais rica e um ser social mais crítico e, portanto, mais livre.
DETALHES DO PRODUTO
SUMÁRIO


ISBN: 9788539626564
Edição: 1
Área: EDUCAÇÃO
Número de Páginas: 280
Data de Lançamento: 07/02/2019
Lombada: 2 cm
Tamanho: 16 X 23 cm
Editora(s): SENAC SÃO PAULO
Título: A ARTE DE CRIAR LEITORES: REFLEXÕES E DICAS PARA UMA MEDIAÇÃO EFICAZ
Autor: GOIMAR DANTAS


Nota do editor
Dedicatória
Agradecimentos
Contadores de histórias
Nossos contadores | Uma influência para a vida
A Bíblia e As mil e uma noites
De onde vêm as histórias
Literatura informativa
Dos papiros às HQs | O que importa é o conteúdo
Ponte para o pote de ouro:
quem são os mediadores de leitura e qual sua missão
Mediação profissional
Mediação profissional na escola
Mediação espontânea
A criança pequena e o contato com os livros
O arco-íris e o pote de ouro
A figura do arauto
Como se forma um mediador de leitura
Qual o objetivo do mediador de leitura?
Todo dia é dia de poesia
A poesia e a infância, 79
Por que é raro ler e ouvir poesia?
Poesia nas ruas, saraus e slams
Por onde começar?
Onde encontrar poesia?
Contos de fadas e fábulas:
passaportes para o mundo real
Por que os contos de fadas são tão importantes para as crianças?
Contradições, trapaças e tramoias marcam os contos de fadas
Violência e machismo nos contos de fadas
Beleza e sofrimento nas obras de Andersen
Releituras dos contos de fadas
Fábula e moral da história
Era uma vez
A Sherazade que usava jeans
Ana Maria e O caso da borboleta Atíria
O primeiro poema a gente nunca esquece
Gramática da fantasia
A lenda da vitória-régia
Seu Elsio e o Bruxo do Cosme Velho
Os discos de terror de Edgar Allan Poe
Augusto dos Anjos antes do lanche
Os heterônimos de Fernando Pessoa
O operário que venceu os engenheiros
A literatura infantojuvenil na sua idade de ouro
João Felpudo, Juca e Chico
LIJ ganha impulso no Brasil e no mundo
Autores pré-Lobato | Intenção pedagógica
Anos 1960-1980 | O boom da LIJ no mercado editorial brasileiro
Editoras e escolas | Uma parceria de longa data
Um passeio pela produção de LIJ no Brasil
Ilustração e genialidade
A magia do livro-imagem
Filosofia, poesia e temas polêmicos
Alguns números
Falta de diálogo entre os países da América Latina
O cinema e seus mediadores exemplares
Harry Potter e A culpa é das estrelas
O bruxinho que revolucionou a LIJ
A culpa é das estrelas (ou seria de Shakespeare?)
O milagre da multiplicação da mediação
Contos de fadas no cinema: as mudanças nos perfis das heroínas
Branca de Neve e os sete anões (1937)
Cinderela (1950)
A Bela Adormecida (1959)
A Pequena Sereia (1989)
A Bela e a Fera (1991)
Mulan (1998)
A contribuição dos booktubers
Sites sobre literatura infantojuvenil
Como promover a mediação
Um tempo para a poesia
Poesia na biblioteca
Mediação na escola
Mediação na biblioteca
Hora do conto
Tudo começa em casa
Mediações especiais
Desejo